sábado, dezembro 19, 2009

Bendita Hora.

A primeira coisa que tenho hoje para dizer é que a paciência paga bons dividendos.
A Plantação superou (folgadamente) o valor atingido prévio ao estouro da crise, em parte pela recuperação que o mercado teve neste ano, em parte pelos investimentos realizados durante os piores momentos da crise. (Eis nestes simples fatos os dividendos recebidos!).

A poucos dias do final de 2009 podemos afirmar que este foi um ano anômalo, talvez arriscaria a classificá-lo de colossalmente anômalo.
Um desses que fica na mente dos investidores, seja porque extraordinariamente quase sangraram até morrer, seja porque extraordinariamente fizeram grandes negócios. Anos como estes costumam deixar bons ensinamentos para aqueles que, também, estejam dispostos a aceitar seus erros e acertos.

Mas contabilizar unicamente acertos é como investir olhando unicamente o EBITDA.

Se bem acertei nas compras efetuadas durante a crise, falhei na intensidade. Isto é, utilizei todo o caixa que tinha disponível no momento para incrementar as posições em empresas que já formavam parte da plantação. Mas poderia ter utilizado o investimento em renda fixa que tenho para alavancar ainda mais a Plantação quando a recuperação chega-se... como de fato chegou.

No pior momento da crise, esse investimento em Renda Fixa, representava 39% do valor total da Plantação (devido a desvalorização que a Plantação estava sofrendo). Hoje, esta em 20% do total da Plantação.

Embora avaliei a possibilidade de efetuar o movimento, em aquele momento, a Renda Fixa me permitiu continuar dormindo tranqüilo!

O caixa líquido foi 100% consumido de Nov-08 até Jul-09. E representou 30% de incremento patrimonial na Plantação (sem contar a valorização das empresas nesse mesmo período).

Eis aqui outra boa lição.

Em particular para mim 2009 é um ano inesquecível, por motivos financeiros e motivos particulares (não necessariamente nessa ordem).
Para alguns, Bendita Hora que o ano Terminou (%@#)... Para outros, Bendita Hora que o ano Terminou!!!

De coração desejo para você um (muito mesmo) Feliz Natal, e um (ainda mais) Prospero e Lucrativo 2010.

Invista, mas também realize seus sonhos!

Abraços,
Stock Buster.


domingo, novembro 29, 2009

Who Let The Dogs Out?

Quem não fica empolgado quando vê como uma boa empresa se prepara para um longo e prospero período de crescimento, contemplando um aumento progressivo das vendas, da margem... e conseqüentemente dos lucros!

Se você pensa que o Boom Imobiliário no Brasil já aconteceu, na visão da Tenda (visão que compartilho) o que vivemos até hoje foi uma mera faísca.

Tenda não é uma empresa que vende sonhos, ela os constrói.
Peça a qualquer pessoa que tenha no mínimo 18 anos de idade, para pedir 3 desejos. Pode ter certeza que uma abrumadora maioria escolhera “ter uma casa” entre eles.

Em Outubro de 2008 a Gafisa se tornou controladora da Tenda comprando 60% das ações (pagando aproximadamente R$1,3 por ação).
A partir de aí um novo horizonte se abriu para Tenda, que aumentou seu alcance geográfico e estendeu a abrangência da renda de seus clientes potencias que passou a ser entre 4 e 20 salários mínimos.
Tenda é uma empresa com forte foco no segmento popular, parcela do Brasil onde existe o maior déficit habitacional, segundo o IBGE, aproximadamente 8 milhões de famílias conformam este número.

O negocio de Tenda se assemelha a uma linha de produção de casas, com foco na geração de escala e nas etapas que mais agregam valor ao negócio, principalmente na venda e na gestão dos clientes.
A empresa foi fundada em 1969 em Belo Horizonte, hoje tem atuação nas 13 maiores áreas metropolitanas do Brasil em um total de 64 cidades.

Em Maio de 2009, concluiu uma operação de Debêntures simples não conversíveis em ações (os de ALL são conversíveis), por um valor total de R$600 milhões.
A operação foi bem sucedida, assim que estão com dinheiro fresco em caixa (pagando uma taxa nominal de TR+8%, podendo ser ajustada para TR+10%).
Parte deste dinheiro atenderá o financiamento dos custos de 81 projetos já existentes resultando na aceleração do ciclo operacional e na liberação de capital de giro. Ponto importantíssimo nas empresas de construção civil.

Tem dois pontos em destaques (entre seis) do modelo de negócios da Tenda:
O primeiro é a elevada capacidade de construção por meio do modelo de operação com construtoras franqueadas (isto maximiza produção em escala);

O segundo é a estrutura de vendas com equipe e lojas próprias garantindo a elevada eficiência operacional.


O motor de combustão da Tenda tem três pistões fundamentais:

Um é a taxa de juros, que na medida que continue descendente dará impulso ao segundo pistão;

O segundo é o acesso ao crédito, que ainda permanece muito, mas muito baixo no Brasil se comparado em relação ao PIB. Porem o numero vem avançando. Em 2005 no Brasil era de 34%, enquanto nos Estados Unidos era de 194%, e no Chile de 82%...

O primeiro e segundo pistão, acionam o terceiro, a Inflação. Enquanto continue controlada no Brasil, o motor trabalhara cada vez melhor.


A Demanda por habitações vai continuar alta, na medida que as famílias que
conformam o déficit tenham acesso ao credito; e na medida que população continue crescendo.
Em 2007 a população Brasileira era de 189,1 milhões, cerca de 60% possuem residem em domicílios particulares.
Para 2050, o IBGE, estima que a população chegue a 260 milhões.

(continua...)


Boa Semana, Bons Negócios,

sexta-feira, novembro 27, 2009

A Disputada Ideiasnet (Breaking News)



Enquanto novembro se aproxima ao seu fim, e aguardamos a finalização do leilão de Ideiasnet marcado para o dia 30/11, e nosso amigo e sócio Eike acompanha diariamente os números da aquisição que pretende fazer a R$5,23 (por ação); Aqui entre nos Eike, é muito pouco para você atingir seu objetivo de comprar até a totalidade das ações que estão no mercado...

Enfim, enquanto estas e outras coisas que nem estão em nosso radar acontecem, uma nova oferta de compra que pretende adquirir 0,05% das ações de Ideiasnet aparece.


O novo comprador, por agora misterioso, ofereceu R$5,50 por ação e apimentou o leilão da segunda feira. Se Eike, em sua paladina missão, pretende ainda comprar todas as ações, terá que fazer uma nova proposta oferecendo no mínimo +5% de R$5,50 (isto é R%5,78).


Nos, pequenos e insignificantes investidores detentores das ações de IDNT, olhamos expectantes aguardando a finalização do processo que de uma ou outra forma, ancorou o valor da ação na faixa dos R$5,4 durante este mês.


Obrigado,

nesses valores não vendo!
E você?

Até o Domingo,

Stock Buster

Nota: Confira artigo no jornal Valor sobre assunto. (Aqui).

Nota2: 0,05% é pouca coisa, mas pela regra, se Eike pretende aumentar o valor na segunda, agora vai ter que ir no mínimo para R$5,78... Foi uma movida magistral!

domingo, novembro 15, 2009

Lunáticos.

O Guia de Autodefesa do Investidor das Galáxias, previamente auto censurado, esclarece:
Existe um número quantitativamente bilionário de pessoas que desejam ser milionárias, infelizmente o número de vagas é limitado. Enquanto aguardamos nossa oportunidade ocupemos sabiamente nosso tempo trabalhando em alguma que coisa.


De paradoxos em paradoxos estamos a 46 dias de distância do final do ano de 2009 e se alguém tinha algum tipo de dúvida relacionada com o desempenho da economia e do mercado neste ano, definitivamente elas se confirmaram. Não é verdade?


Acredito seja valioso prestar atenção nos seguintes tópicos:

  1. Grandes diferenças podem ser obtidas em períodos de grandes turbulências. Não vou me cansar de escrever isto...
  2. Indubitavelmente, dispor de um bom caixa durante períodos de crise pode ser tão valioso quanto dispor de uma boa plantação em períodos de prosperidade.
  3. Não achei ainda o número ideal no que se refere à percentagem de caixa versus dinheiro aplicado em ações. Embora B. Graham tenha dito que no mínimo 25% deve ser mantido em títulos de renda fixa (plausível de ser rapidamente aplicado em ações)... eu acredito que o numero ideal varia de investidor para investidor.
Estou muito entusiasmado com Tenda. O modelo de negócios é fabuloso. O déficit habitacional no Brasil é um número composto por 8 milhões de famílias. Empresas como Tenda tem um potencial gigantesco neste sentido. Ela tem a capacidade de produzir um grande número de moradias visando atender toda essa demanda reprimida.

A pergunta é: Como estas 8 milhões de famílias terão dinheiro suficiente para adquirir o sonho da casa própria?
A resposta: Tendo acesso ao Crédito. E, neste segmento do negócio bancário (o do crédito) muita coisa está acontecendo de forma positiva. E o percurso (o movimento) ainda está no início...

Se a Nasa encontrou água congelada (95 litros) em uma cratera no pólo sul da Lua no final da missão Lecross que custou US79 bilhões. Só por curiosidade Lunática, você já fez o cálculo de quanto custou o litro?


Um fato é certo: Os Marcianos desapareceram há milhões de anos, e os Lunáticos...? Bom, muitos deles moram aqui na Terra e operam no mercado de ações!


Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, novembro 08, 2009

Os Quatro Elementos.

(Acima: Olhando um jogo de Tennis: Abaixo: Olhando o mercado de ações)

Desde os tempos pré-socráticos as pessoas se apoiavam em um grupo de elementos arquetípicos (simples) para explicar os padrões da natureza.

Assim os quatro elementos gregos (Terra: Sólido, Água: Liquido, Ar: Gás, Fogo: Plasma) que persistiram através da Idade Media até o Renascimento, e influenciaram fortemente a cultura e o pensamento europeu, podem servir também para explicar uma serie de fenômenos paradoxos do mercado financeiro.

Ao final, no mercado, varias vezes as coisas pegam fogo, ou ficam na lama, ou voam pelo ar. Pé no chão e água generalizada, são também padrões perceptíveis.


Enquanto o Centennial e seu grupo de investidores tentam implacavelmente comprar até 100% de Ideiasnet, pelo esquálido valor de R$5,23 por ação, e o Governo de Lula critica no G20 a China e Argentina por manter seu cambio flutuante desvalorizado de maneira fictícia; Por acaso, se este mesmo Governo não interviesse no mercado de cambio da mesma forma que a China e Argentina, só que na ponta contraria... segurando de maneira fictícia o valor do Dolar, será que o Real não continuaria valorizando-se?...


Nunca deu para agradar ao mesmo tempo a Gregos e Troianos.

Você lembra os prognósticos fatídicos sobre as perspectivas financeiras para 2009? Falavam que as coisas continuariam pegando Fogo, mesmo que já tivessem virado em parte cinzas.
Quem foi então que jogou Água suficiente para que a Terra voltasse a ser cultivável? E, você esta no grupo dos que semeou ou no grupo dos que assoprou para que as chamas aumentem?

Agora que entramos na reta final de 2009 e a Plantação se estendeu além de seus antigos limites, reflito um instante e me faço a mesma eterna pergunta de sempre (quase que existencial, porem não filosófica): Onde Investir Agora?

Aumentar a participação de Tenda (ou da Tenda) na Plantação é o próximo objetivo. Embora a empresa tenho subido neste ano 500%, em realidade ainda esta abaixo de seu máximo, abaixo do valor da IPO e abaixo do valuation que fiz: que deu algo em torno de R$24-R$25 por ação. (... pensando em um horizonte de 5 ou 6 anos).

Fique atento a divulgação dos Resultados de Ideiasnet o 13/11 e 16/11. E também nos Resultados de ALL o 11/11 e 12/11.


Não tente dominar os Quatro Elementos, tente surfar neles...


Boa Semana, Bons Negócios.


(Nota: Centennial, Hankoe, Fundo Mercatto, Total Return Investment LLC, Gustavia Investors LLC, estão com oferta de compra de ações de Ideiasnet até 30/11/2009).

domingo, outubro 25, 2009

Tipo de Oferta Hostil (?)

De tempos em tempos acontecem estes tipos de coisas.
De Segunda a Sexta feira, qualquer mortal investidor (ou grupo de investidores) com quantidade suficiente de dinheiro, pode tentar comprar no mercado a totalidade das ações de uma empresa.

Como exemplo, poderíamos colocar uma saborosa ordem de compra em nosso HomeBroker preferido para comprar os 104 milhões de ações de Ideiasnet (IDNT), até cancelar, por R$5,23 por ação.

... Se você dispõe de R$543.920.000, e gosta do negocio, por que não?

Algumas vezes nos deparamos ante fatos imprevisíveis, no restante das vezes os fatos são totalmente imprevisíveis.
Mas, no caso do fato recente de IDNT, a surpresa não esta nas vontades de adquirir a totalidade do controle acionário... esta sim no valor oferecido para atingir tal objetivo: R$5,23 (só?).

A hostilidade da possível, e ainda não confirmada nem consumada oferta de compra, não esconde a voracidade e apetite de lucro de quem esta por detrás deste negocio.

Em primeiro lugar, temos que concordar que IDNT é um excelente negocio. Digo, porque alguém se interessaria em comprar 100% de um negocio ruim?

Em segundo lugar, não podemos sentir que estão subestimando nossas ações, por acaso não é o que você sempre faz quando coloca uma ordem de compra... tentar comprar no menor valor possível?

Por ultimo, claro, para que a ordem seja executada não adianta alguém querer comprar, tem que existir um sujeito do outro lado querendo vender pelo mesmo valor...

... Neste este caso em particular, para quem pretende convencer até 100% dos acionistas de IDNT, entre majoritários e minoritários, o valor oferecido beira o limite da mediocridade. Será que alguem vai topar?

Me pergunto, se até o próprio Eike Batista, que no ano passado comprou 8,47% das ações a R$6,7 cada, estaria disposto a sair do negocio vendendo a R$5,23?

Humildemente me atrevo a dizer que se alguém esta seriamente interessado em adquirir até 100% das ações de INDT, este alguém deveria iniciar a oferta na faixa dos R$9-R$10, como para que algum grupo de acionistas o leve mais a serio.

Até lá... obrigado.

Boa Semana, Bons Negócios.
Ler Fato Relevante de IDNT completo.

domingo, outubro 18, 2009

Não Olhe Para Trás.

Após de percorrer o caminho, olhando para trás, ficam evidentes quais seriam as melhores alternativas para superar os obstáculos e inclusive, o percurso mais curto para atingir nossos objetivos.
Ao corroborar o resultado daquelas oportunidades nas quais decidimos não entrar, seja qual for o motivo, nosso cérebro maliciosamente se encarrega de acionar o alarme interno visando aumentar nossa autoconfiança, e de olho na “recompensa” incentiva a euforia.

Se tivéssemos feito isto ou aquilo agora o resultado seria este... na maioria das vezes só reparamos na resposta quando de fato o resultado poderia ter sido bem melhor que o resultado de fato.

Olhar para trás, no que se refere a nossas decisões, sempre é um exercício interessante sobre tudo sim aproveitamos esse tempo para melhorar o processo de tomada de decisão.

O melhor momento para entrar no mercado de ações foi quando a maioria dos investidores, e especuladores, fugiam desesperados. Hoje acredito que exista 100% de consenso nesta afirmação.
Por que você não entrou nesse momento? (É uma pergunta que você pode refletir a vontade e com sinceridade antes de responder para você mesmo).
Se ainda você quer retroceder no tempo, sugiro que leia novamente as postagens de Janeiro de 2009... em diante. (99% de Persistência, foi a primeira).

Olhar para trás, como escrevi no inicio, é muito mais simples que olhar para frente. Isto é porque: O Futuro Sempre é Incerto! Ou: O Futuro Nunca Esta Claro!
Além disto, o passado muitas vezes esta detalhadamente registrado e isto facilita as coisas...

A Plantação esta iniciando um novo ciclo. Nele uma nova empresa entrou no portfólio: Tenda (TEND3). Saiu ComGas: Obrigado ComGas!

Que o segundo ciclo inicia-se com um horizonte de 5 ou 6 nos, não é coincidência. Teremos a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Que tal semear tendo isto em mente?

Neste sentido, a Tenda que é uma empresa do ramo da Construção Civil, ingressa na Plantação após de fazer um valuation positivo dela.

Só lembrando que a Plantação nasceu em 2004 com um horizonte de até 10 anos.
Como todo parece indicar que os objetivos colocados para o portfólio serão alcançados antes de 2014, a remodelação da estratégia visa alcançar a cenoura que agora esta um pouco mais longe.

Se você ingressou no mercado durante o primeiro semestre de 2009, com um mercado sub avaliado por causa dos preços deprimidos, eu acredito que você terá possibilidades de multiplicar seu dinheiro x7 ou x10 até 2016 (mais ou menos); Claro, dependendo de quais empresas você escolha...

Veja bem, possibilidade não significa certeza.
Ainda não terminei de executar as operações para alinhar a nova estratégia. Em breve...

Boa Semana, Bons Negócios!


quarta-feira, outubro 07, 2009

Press Release.

Caros leitores (estava com saudades),

Embora há algum tempo reine um silencio malicioso no blog, isto não significa que a Plantação esteja à deriva.
Pelo contrario, movimentações foram feitas no portfolio de forma a reajustar a estratégia para os próximos 5 (cinco) ou 6 (seis) anos.

Nesta linha, neste sentido, fiz a coleta da ComGas com excelentes rendimentos no período (2004-2009).

A coleta da ComGas, não é porque a empresa seja ruim ou não tenha futuro. Com certo remorso vendi esta posição simplesmente porque estarei investindo esse capital em outra empresa...
Além de ComGas, outra empresa sairá da Plantação.

Cambalacho: S.m; Troca, Tramóia, Conluio.
2009 esta sendo um Cambalacho. E a sentencia de Enrique Santos Discépolo (cantor e compositor Argentino de Tango), que sentenciou ao século XX desta forma, tranqüilamente (e por enquanto) poderia se estender para o atual século XXI e particularmente para o mercado de ações.

Evidentemente o mercado de ações caminha constantemente entre a supervalorizarão e a sub avaliação do preço das ações. E não é o mercado (como ente) que atua de forma ilógica ou errada, mas sim seus participantes (nos) motivados muitas vezes, como já sabemos, por questões psicológicas pouco racionais.
O processo de precificação não é um mecanismo automático, é sim individual. Porem os desvios do mercado e suas apreciações (oscilações) são produzidas por grupos ou massas de investidores..

Tomara o ano esteja sendo positivo e as amarguras da crise tenham ficado para trás.
Uma coisa é fato, esta ganhando e se recuperando quem comprou no meio da crise, da débâcle, do cambalacho.

Você comprou?
Como publiquei aqui, eu comprei.

São Paulo, 7 de Outubro de 2009.
Stock Buster.
Boa semana, Bons Negócios.

domingo, agosto 23, 2009

Posso Morrer Depois Das 18hs?

Aparentemente o pior da crise já passou, mas o melhor do processo de recuperação econômica ainda esta por vir... é bom manter este fato em mente.
A pergunta pouco trivial refere-se a um hipotético encontro com a morte, do qual saí hipoteticamente vivo.
Pode acompanhar, se você quiser:

Morte
: Demorei um pouco em atender seu pedido Stock Buster (eu), o ultimo ano foi atípico, mas no que diz respeito à eficácia e qualidade nunca ninguém reclamou nada comigo. Vim procurar você, meu caro.
Eu
: Como assim?! Pedido?! Não me lembro de ter feito nenhum pedido especifico a você.
Morte
: Foi sim, deixa eu ver aqui no meu Kindle. Olha só, foi no dia 27 de outubro de 2008. Está registrado, e o sistema não falha. Quer dizer, uma ou outra vez foi pego sem bateria, e teve que regressar para dar uma carga. Fora isso... é perfeito.
Eu
: Me lembro vagamente, esse dia foi uma débâcle generalizada na Bovespa. Posso ter inferido em um comentário inócuo e inconsciente.
Morte
: Não temos mais esse tipo de classificação, depois da reforma de 91, toda solicitação é atendida o mais rápido possível. Parece que tem algo a ver com Kyoto e a superpopulação da terra.
Eu
: Caramba Morte, não estava preparado!
Morte
: Todo mundo diz a mesma coisa.
Eu
: Imagino que sim. É que... pensa o seguinte. Se tivesse feito um pedido real você não acha que teria organizado melhor minha partida? Assim, desta forma abrupta, tem muitas coisas que ainda não fiz.
Morte: A humanidade esta repleta de atos inconclusos, quer ver minhas estatísticas? Tenho um outro arquivo aqui que...
Eu
: Olha só. Sei que não deve estar no seu protocolo, mas precisaria organizar algumas coisas antes de partir. Por exemplo, tenho aqui meu portfólio de ações. Acho que seria importante vender todas minhas posições e deixar o dinheiro para alguma organização não governamental, alguém que se importe com os vivos... igual a você, sabe?
Morte
: E isso demoraria quanto tempo?
Eu
: O mercado fecha às 18hs, posso morrer depois?
Morte
: Deixa ver aqui, depois das 18hs estou com minha agenda cheia... E ainda tenho um happy hour as 22hs.
Eu
: Posso passar pelo happy hour, desta forma se evitaria a viagem de volta para me pegar. Onde seria o fatídico encontro?
Morte
: Nos encontramos faz décadas num bar na esquina de Ipiranga com Avenida São João.
Eu
: Acho que sei onde é. Podemos marcar?
Morte
: Não demore. Eu sei onde você mora e o blog que você escreve.

Enquanto a catequização de políticos e economistas ao redor do mundo continue com seu discurso positivista, visando elevar os ânimos dos consumidores e investidores, parece que muitas coisas convergem, finalmente, em uma longa e feliz retomada econômica. Devagar e sempre!

Vou deixar um assunto para você refletir, se você fosse investir hoje em algumas empresas da Bolsa olhando para 2014 e a copa do mundo... Quais ações você escolheria?

Boa Semana, Bons Negócios.
P.S.: Recebi um SMS da Morte dizendo que o Happy hours tinha sido cancelado, e que posso ficar tranqüilo que em algum momento (no futuro) virá por mim. Esta todo anotado no seu Kindle...

domingo, agosto 02, 2009

Palpite de Tipo Pitaco.

Palpite: Fig. Pressentimento, intuição, suposição.
Pressentimento: Sentimento vago ou instintivo do que há de suceder.

Pitaco: Palpite nem sempre fidedigno.


Eu acho, há algum tempo, que o pior ainda esta por vir lá pelo 2016. Esse é meu pitaco. Virei fervente seguidor desta teoria, diria quase um catequizador, após de ler “Profecias do Pai Rico” alguns anos atrás. Parece pouco serio, certo?

Quem já leu este livro, deve entender e concordar com “o porque desta data”.
Para quem não leu, segue uma pequena e fugaz explicação:

Segundo Robert Kiyosaki a próxima Grande Depressão irá ocorrer a partir do ano 2016 quando a geração dos Baby Boomers comece se aposentar. Isto vai gerar um gigantesco fluxo de retiradas massivas das aplicações destinadas para suas aposentadorias.

Imagine o seguinte:
Hoje existe um delicado balanço entre compradores e vendedores no mercado de ações. Seja o Americano, Brasileiro, ou o de qualquer pais do mundo.
Na medida que o pendulo se inclina para um ou outro lado, o mercado sobe ou cai. Se um número maciço de investidores (o suficientemente grande como os Baby Boomers) decide, por necessidade, começar a resgatar suas aplicações (simplesmente para viver e desfrutar da velhice).
Teoricamente não existira um número de compradores o suficientemente grande ou com a suficiente quantidade de dinheiro que permita equilibrar este pendulo.

Como resultado, o crash do mercado parece inevitável.
Claro, bem como colocou Robert em seu livro, o Governo Americano ainda pode tomar alguma medida ou promulgar alguma lei que evite ou dilua este futuro crash.
O próprio Alan Greenspan já mencionou este problema quando era presidente da FED, e no seu livro "A era da turbulencia".

Se você quer saber mais sobre este assunto, recomendo que leia o livro. Você não vai perder absolutamente nada, muito pelo contrario, vai-se surpreender.

Tendo isto em mente, e acreditando no pitaco do Robert investir hoje no longo prazo implica saber que no futuro vai chover com força. É a melhor estratégia para ser aplicada nesse caso não será comprar uma capa e um guarda-chuva, será estar longe, bem longe mesmo do mercado nesse momento.


(R$1.000 investidos na Plantação. De Jun-04 até Jul-09)

O sétimo mês do ano fechou positivo na Plantação (+4,81%).
Embora ainda não recuperou os valores de Setembro de 2007, prévio estouro da crise, fica evidente que comprar durante épocas de pânico é muito lucrativo e permite alavancar o portfólio quando o vento volta soprar de popa.

Num universo repleto de palpites e pitacos, evidentemente este é mais um, é claro que gostaria de provocar sua reflexão. Pense, e avalie, o melhor momento para entrar no mercado é realmente quando os jornais, analistas e bancos dizem? Ou é bem antes do que isto?

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, julho 26, 2009

Hana Hou!

Enquanto o tempo transcorre e os diferentes participantes do mercado financeiro dirimem em relação ao estagio da atual crise, os negócios na Bovespa continuam acontecendo em razão de 4 bilhões por dia (as vezes alguns milhões mais, as vezes alguns milhões menos).

Como já foi inúmeras vezes mencionado neste blog, o encontro virtual de dois investidores/especuladores em uma operação de compra/venda apresenta na maioria das vezes (com ou sem crise) o paradoxal analise contraposto. Isto é, em uma ponta alguém acredita que as coisas não vão melhorar e vende; Na outra ponta, alguém acredita que as coisas vão melhorar e compra.

Sempre é assim. Sempre será assim. Não importam as condições do mercado.

Tenho-me feito repetidamente a mesma pergunta, e acredito que você esteja pensando na mesma coisa.
Valendo alguns reais: O que fazer agora?

Quem acompanha as postagens semanais, sabe que minha resposta aponta indudavelmente na direção (obscura para muitos, iluminada para outros) da posição Compradora.
Estamos, ainda, em um dos melhores momentos da década para ingressar no mercado de ações para quem pensa/investe no longo prazo (5, 10, ou mais anos).
Arriscaria-me a insinuar que até para quem gosta de horizontes mais próximos, de 2 a 3 anos, o momento é propicio.

Obviamente, logicamente, claramente, evidentemente, sempre o investidor deve estar consciente dos riscos inerentes ao investimento em bolsa. Não atuar por impulso (nem acompanhar a manada). Fazer sua analise, refletir, avaliar os fundamentos; e só depois agir em conseqüência.

As compras efetuadas durante o período da peste Bovespiana (Out-08 até Abr-09) no qual as ações eram rejeitadas como se tivessem HxNx, renderam para a plantação:
Ideiasnet (Nov-08: 35%); ALL (Jan-09: 52%); Porto Seguro (Abr-09: 33%).

O Índice de Capitalização Bursátil (ICB), que acompanhamos freqüentemente, esta de volta em escalada.
Após de uma baixa abrupta em 2008 para os níveis históricos normais, no gráfico abaixo podemos observar como (considerando um cenário com o PIB de Brasil crescendo 0%) o valor de mercado de todas as ações que cotizam na Bovespa voltaria para patamares ascendentes.
Neste caso, perguntar-se até onde vai chegar o ICB e quanto tempo vai levar, não seria em nada uma pergunta descartável.


(clique na imagem para aumentar)

Hana Hou: Faza de Novo (em língua havaiana).
Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, julho 12, 2009

Voltei de Pescar.

(clique na imagem para aumentar)

Caros leitores e leitoras,

pela presente postagem venho novamente informar que retornei de meu período de feiras.
Muito Obrigado, foram excelentes!


Períodos de ferias são sempre muito úteis para aplicar o ensinamentos obtidos da Fábula do Lenhador, que muito generosamente alguém escreveu um dia; Para quem não lembra desse post recomendo sua leitura (
Turn Off).

Fiquei praticamente 99,99% fora do mercado, ou 0,01% corresponde a leituras rápidas de titulares de jornais e só.
No Market, No Emails, No Blog e... No Work!!!

De volta ao maravilhoso mundo do dia a dia, me deparei com que:
  • Valor do Indice Bovespa o 23 de Junho de 2009: 49.814
  • Valor do Indice Bovespa o 10 de Julho de 2009: 49.221
Isto é, seja o que for que tenha acontecido, não aconteceu nada...
Será?


Boa Semana, Bons Negocios.

terça-feira, junho 23, 2009

Fui Pescar

Caríssimos leitores e leitoras.
Venho pela presente postagem notificar você que estou em período de férias.
Como este blog é unicamente escrito por mim, e não tendo quem fique no meu lugar, ficara em suspenso a próxima postagem sobre: O Dinheiro Nos Tijolos (2), assim como também informações relevantes de estratégia de compra/venda, chutes no escuro e erros no claro.

Como correção, após de fazer os cálculos completos relacionados com o Dinheiro nos Tijolos (1), o retorno foi de 48% e não de 40%. Noticia boa!.

Pelo que venho acompanhando o mercado esta novamente um pouco deprimido e conseqüentemente a Bovespa segue a escolta.


Para mim o futuro (embora sempre incerto) se vislumbra positivo. Juros em baixa (os mais baixos da historia do Brasil) deveram surtir seu efeito; Para alegria de uns e tristeza de outros.

Existe a sensação de que a crise esta ficando para trás, mesmo que ainda não se sabe muito bem o que vem pela frente. Colocado em termos automobilísticos poderíamos dizer que a tormenta esta no espelho retrovisor, e que estamos no meio de uma curva de 90 graus sem poder saber o que esta além dela...

Enquanto isso... nada... só não esqueça de desfrutar a vida. E de fechar bem as torneiras... Faz bem para o Planeta, faz bem para seu bolso...

Volto dia 12 de Julho.

Boa Semana, Bons Negócios.

terça-feira, junho 09, 2009

Entrevista com Rodin Spielmann (Ideiasnet).


A venda da Braspag para o Grupo Silvio Santos por R$25 milhões traz para Ideiasnet (detentora de 24,4% das ações da empresa) R$6,1 milhões e inicia uma nova fase de maior dinamismo no portfólio da Holding.
Em entrevista por email, Rodin Spielmann (Diretor de Relações com Investidores) acrescentou informações interessantes relacionadas com o fato relevante (Ver publicação do Fato).

1. Ideiasnet investiu R$232.824 há quatro anos na Braspag, com este resultado multiplicou por 26,2 vezes o capital. Com retorno de 162% ao ano, um excelente negócio!!! A Ideiasnet já tem planos para o novo dinheiro que entrou em caixa?

Investiremos esse caixa com o mesmo intuito de sempre, gerar o melhor retorno possível pro nosso investidor. Temos analisado muitas oportunidades ao longo desses períodos, e entre elas investimentos nas próprias companhias do nosso portfólio para gerar mais posicionamento, crescimento e vantagens competitivas.

2. Sobre o comentário final na publicação no “fato relevante”: O rentável encerramento do ciclo de investimento em uma das investidas da Ideiasnet inicia uma nova fase de maior dinamismo no portfólio.
Neste sentido, que podemos esperar para os próximos 12 e 18 meses?

Pode-se esperar um maior dinamismo no portfólio atual, acredito que a melhor métrica de geração de valor para o acionista de IDNT3 é o fechamento de ciclos como o que realizamos. Algumas de nossas empresas estão muito bem posicionadas em seus respectivos segmentos, e estamos sempre buscando as melhores operações com investidores estratégicos para comprovar ainda mais o modelo de investimento – e desinvestimento – da Ideiasnet.

3. Sem duvidas o negocio fica mais empolgante, sendo que a venda da Braspag representa, pela primeira vez, o fechamento de um ciclo completo do negocio de Ideiasnet. Você considera que este passo (o primeiro de muitos) coloca Ideiasnet no grupo de empresas com negócios mais consolidados e maduros?

Sem dúvida. Na realidade acredito que a maturação da Ideiasnet começou a ser mostrada já em 2007, porém efetivamente só fizemos a 1ª venda relevante agora. Por isso provavelmente seremos percebidos como “empresa de investimentos” e não “holding” a partir de agora.

Obrigado pela entrevista Rodin.

Boa Semana, Otimos Negócios.

domingo, junho 07, 2009

O Dinheiro Nos Tijolos (1).

O triste e simpático passado econômico Latino Americano, das ultimas x (xis) décadas, tem influenciado fortemente a maneira de pensar de milhares de investidores latinos.
Em parte porque as históricas e constantes oscilações de nossas particulares economias têm obrigado permanentemente a quem dispunha de algum dinheiro sobrando, a se proteger e se defender da fatídica inflação e da desvalorização praticamente constante de nossas efêmeras moedas.
Em parte porque a falta de opções ou o acesso intrincado que no passado tinham investimentos em Bolsa ou Títulos Públicos e Privados, deixavam poucas alternativas confiáveis de investimento.

Desta forma, colocar o dinheiro em Tijolos tangíveis e visíveis, transformou-se na alternativa predileta de milhares de investidores latinos.
O imóvel sobrevive a desvalorizações, hiper inflação, e outro tipo de anomalias econômicas bastante conhecidas por uma parcela consideravelmente grande desta região do planeta.

No ano retrasado, juntamente com meu sócio Diego (da SBB), participamos como investidores de um empreendimento imobiliário na cidade de Três Lagoas. Com um rendimento de 40% de Junho de 2008 até Junho de 2009, a experiência além de lucrativa se mostrou extremamente educativa.
Uma coisa é operar no mercado de ações e títulos, outra coisa e fazer um investimento direto numa empresa, envolvendo revisões de contratos, acompanhando o desenvolvimento do empreendimento, participando das decisões do negócio e fazendo uma analise de risco mais detalhado e com menos informações disponíveis da que normalmente estamos acostumados quando se trata de avaliar empresas da bolsa.

Percebemos, claramente, da importância e do peso que tem os gestores do negocio. Da habilidade deles, fundamentalmente, depende o sucesso do negocio.

Em junho de 2008 a crise ainda estava prestes a estourar com força, mas quando a oportunidade se apresentou, em nossa avaliação (Risco/Retorno), resultou ser uma excelente forma de testar nossas habilidades e cheiro para os negócios (fora do circuito da Bolsa).

Compramos a idéia de que em Três Lagoas, o déficit habitacional é tão grande que mesmo sendo uma empresa nova, sem histórico no mercado, sem todo o caminho das pedras ainda descoberto para poder, não só construir os apartamentos, mas também poder vender-los, valia a pena participar.

Desta forma nos deparamos que estávamos analisando uma empresa sem histórico nenhum, cuja primeira operação no negocio era o business case que nos estavam apresentando. Fizemos uma pesquisa paralela sobre o valor do metro quadrado de imobeis em Três Lagoas, olhamos a disponibilidade de ofertas em imobiliárias da cidade (e seu valor de venda) e chegamos a conclusão de que se TODO dava realmente certo, então o investimento poderia realmente valer a pena.

Mesmo que o mercado de ações, nessa época, ainda não tinha mergulhado com toda a força, nos pareceu sadio, inteligente e desafiador embarcar nessa empreitada.

... Procuramos então fazer uma analise detalhada abordando os riscos possíveis, e o retorno (pior retorno/melhor retorno).

(A). Nosso lucro aconteceria quando as unidades fossem vendidas.

Estes são alguns dos riscos que avaliamos no momento de entrar ou não no negocio:
  1. Que as unidades não sejam vendidas mas sejam alugadas por um período de 3 anos. (Isto não era interessante para nos, já que procuramos obter um ganho de capital e não uma renda fixa);
  2. Que a venda das unidades demore mais que 8 meses após de construídas. (Neste caso a taxa de retorno cairia mês a mês);
  3. Não concluir a construção das unidades (seria terrível e perderíamos o dinheiro);
  4. Não obter as habilitações da prefeitura de Três Lagoas. (Teríamos as casas construídas, mas não poderiam ser comercializadas até resolver a situação);
  5. Fim abrupto da empresa. (Qualquer fato inusitado que impedisse aos sócios fundadores continuar com o empreendimento);
  6. Estouro da bolha imobiliária no Brasil. (Neste caso o valor de venda não seria suficiente para cobrir os custos, ou seria muito próximo do custo, gerando uma queda considerável no retorno);
  7. A tese de vender os apartamentos no valor que estávamos cogitando, em realidade era mais uma hipótese.
Com tudo, os números, a mitigação e ponderação dos riscos que identificamos, e principalmente, a vontades de testar nosso “cheiro” para os negócios... Fizeram que de fato invistamos.

Continua...

Boa Semana, Bons Negocios.

domingo, maio 31, 2009

Recessão á Chinesa (Todos Sorridentes)

Transcorridos os cinco primeiros meses do pressagiado e fatídico 2009, nos deparamos com que políticos, economistas, analistas financeiros e investidores ainda não chegaram num consenso no que se refere a duração e recuperação da crise.

Entrando em Junho, o ultimo mês de primeiro semestre, percebemos que as coisas não foram tão ruins quanto se falava há 6 meses.
Para refrescar um pouco nossa memória de investidores e revalidar nossas estratégias de investimento de longo prazo, vale a pena conferir o quadro (a).

(Quadro a, clique para aumentar)

Logicamente tudo mundo gostaria de saber quando sairemos exatamente desta crise.
Temos duas possibilidades:
  1. Podemos sair da crise ainda neste segundo semestre de 2009. O que seria um fato excelente e nos leva a continuar considerando fortemente que o período de “compra” continua em aberto nestes momentos. Antes que os preços se recuperem e voltem a seus valores pré-crise.
  2. Podemos sair da crise no primeiro semestre de 2010. O que seria um fato excelente e nos leva a continuar considerando fortemente que o período de “compra” continua em aberto nestes momentos. E ainda, durara mais um pouco que na primeira possibilidade... Antes que os preços se recuperem!
Durante todos estes anos a estratégia de comprar em períodos de baixa, ou de forte baixa, foi a mais adequada e a que gerou mais retornos para a Plantação. No mínimo sugiro que seja alguma vez testada por você, caso nunca a testou.

Podemos chutar que nunca sairemos da atual crise? Só se estamos muito, mas muito deprimidos.
Podemos acreditar que ainda teremos fortes quedas no segundo semestre deste ano? Claro que podemos! Mas o importante e saber o que faremos caso isto acontecer... Em meu caso particular: comprar.

Quem realmente pode estragar o segundo semestre do ano é Kim Jong-il, o maluco da Coréia do Norte (Infelizmente).

Se nada grave acontecer, acredito que estaremos todos bem sorridentes no final deste ano (igual que os Chineses). Ao final eles estão preocupados porque em lugar de crescer 9% ou 10% neste ano, cresceram só 6%...

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, maio 24, 2009

Três Caras De Uma Mesma Moeda.

Especulemos juntos na seguinte linha.
Digamos que dispomos hoje de um capital para investir em alguma coisa. O leque de opções é o suficientemente grande como para que fiquemos entretidos por um bom e prolongado tempo.

O problema com o tempo, que é o único recurso infinito que conhecemos no universo, é que não temos a possibilidade de usufruir completamente dele. Isto é, nos somos finitos.


Colocada esta premissa de forma trágica, porem direta, continuemos na especulação.

Antes de sair por aí procurando novas oportunidades de investimento, penso que vale a pena olhar se aquelas empresas nas quais já possuímos investimentos não merecem receber um novo aporte de capital. A diversificação é algo sadio, porem em excesso é algo medíocre e confortável.


A primeira cara da moeda:

Ideiasnet: Os resultados do 1T09 não foram maravilhosos, nem muito menos nada para se orgulhar. O prejuízo de R$6 milhões, embora esperado por causa da queda nas vendas no varejo e da desaceleração da economia interna, foi no mínimo arrepiante.


O segmento de tecnologia no qual Ideiasnet atua, sofreu como outros segmentos sofrerão com a crise. Embora dentro do segmento de tecnologia encontremos resultados divergentes, com impactos diferentes.

Por um lado temos a Officer, responsável por 85,34% da Receita Liquida do trimestre (R$169,4 milhões) com uma margem de 2,3% de EBITDA . Isto significa que gerou R$3,896 milhões de lucros antes de impostos, depreciações e amortizações.

Em resumo: Muito dinheiro passa, pouco dinheiro fica. Normal, para um negocio focado na distribuição (neste caso de produtos de informática), como é a Officer.

Não vamos cuspir na principal empresa geradora de caixa do Holding!


Como já foi comprovado, o potencial bombástico e gerador de receita e margem que possuem outras empresas do portfól
io como por exemplo: Padtec e Imusica, é alentador.

Uma boa atitude da empresa foi a de apresentar uma nova forma de classificação das empresas que estão no portfólio, onde claramente se observa em qual estagio esta cada empresa e a qual segmento pertence. Cada segmento trabalha com margens bastante diferentes...




Se acreditarmos numa melhora constante e gradual nos próximos 3 trimestres do ano, sem duvida os resultados do ano fiscal de 2009 deveriam ser satisfatórios e empolgantes.

Mas, no âmbito dos investimentos, quanto menos deixemos livrado a fé, e quanto mais pragmáticos consigamos ser, mais chances de sucesso teremos no investimentos. Ao menos eu tenho fé nisto!



A segunda cara da moeda:
Num movimento atípico, ao menos assim foi para mim. Ideiasnet esta propondo fazer uma Redução de Capital Social. Isto soa ainda mais arrepiante que o prejuízo do 1T09. Na tentativa de esclarecer para mim e, obviamente compartilhar isto com vocês, foi que entrei em contato com Rodin Spielmann. Por email, respondeu:

1. O motivo da redução é para absorver a prejuízo de R$6 milhões, certo? Mas o impacto que isto pode ter nos investidores e na própria Ideiasnet, não esta claro para mim. Ideiasnet esta avaliando pagar para os investidores (proporcionalmente)? Se os prejuízos acumulados somam R$6, porque reduzir o capital em R$27?

O prejuízo acumulado de exercícios anteriores era justamente esse R$ 27 milhões, o fato de estarmos “zerando” essa conta é justamente para termos a possibilidade de começar a ter “Reserva de Lucro” e “Lucros Acumulados”.


2. Qual a vantagem/beneficio para Ideiasnet em fazer esta redução?
Caso geremos resultado positivo no ano, teremos uma conta de “Lucros Acumulado” e com isso poderemos pagar dividendos.

3. Entendo que o numero de ações em circulação será mantido, porem fico preocupado em qual o impacto que isto pode ter na cotação de IDNT? Francamente, nunca passei por uma situação similar.

O impacto deveria ser positivo na medida em que a Ideiasnet está demonstrando com ações contábeis (não há efetivamente nenhuma mudança no número de ações ou qualquer coisa do gênero) que está confiante na geração de resultados positivos a partir desse ano corrente.


A terceira cara da moeda:
Em tempo real as decisões não são tão obvias, isto é tendemos sempre a tentar diminuir ao máximo o nível de incertezas, mas as tentativas, ao final, não deixam de ser teses de investimento.


Podemos criar uma tese para Ideiasnet, outra para ALL, outra para Perdigão (agora a quase flamejante Brasil Food)... em definitiva podemos criar quantas teses achemos convenientes.

Evitar diversificar o investimento, neste momento, significa que nos obriga a fazer avaliações mas profundas de nossas próprias premissas. Isto é porque dividir o capital disponível para investir entre as 3 empresas citadas seria talvez uma saída confortável, mas ficaria evidente que estamos aceitando de certa forma nossa incapacidade de analise.

Boa Semana. Bons Negócios.

domingo, maio 17, 2009

O Fabricante de Bolas de Neve.


A historia do Fabricante de Bolas de Neve pode ser tão fantasticamente incrível, como é a historia da fantástica fabrica de chocolate e seu dono.

Ainda não tem a versão para o cinema, mas quem sabe talvez não demore muito em sair.

Até lá o melhor livro já publicado ao seu respeito é a biografia escrita por Alice Schroeder (Bola de Neve), por encomenda do próprio Warren Buffett.
“Se existem duas versões de um mesmo fato, falou Buffett para Alice, fique sempre com a menos lisonjeira...”

Eis aqui, logo no inicio do livro, uma das mais importantes lições (dentro das milhares que são transmitidas): “A Humildade Desarma.”

Se você quer acrescentar conhecimento ao seu estilo de avaliar oportunidades de negocio, sem a menor vacilação você pode encarar concentrado e alegremente as 900 páginas de sabedoria que o livro possui. Acredite, vale realmente a pena.

Escolher onde investir o dinheiro, de tanto estudo e analise eu diria que se transforma em quase uma arte. Warren Buffett é um verdadeiro artista neste sentido.

Enquanto o cenário de crise continua desenrolando-se, ou enrolando-se, semana após semana, mês após mês, e o humor dos investidores varia em direção inversamente proporcional à melhora ou priora deste cenário, fica claro que os melhores negócios podem acontecer em situações como as atuais.

Não é a toa que o número de fusões e aquisições tem aumentado significativamente durante os últimos 12 meses.

A historia de Warren Buffett esta repleta de crises, acertos e erros. Foi durante muitas destas crises que Buffett enxergou oportunidades para realizara negócios que posteriormente potencializaria fortemente sua fortuna.
Em quais circunstancias e em quais condições Buffett comprou parte de American Express ou de Geico?

Outro ponto importante é o de tentar entender todas as coisas que acontecem num determinado negocio. Por exemplo, nestes momentos estou tentando entender qual o beneficio ou prejuízo que a redução de capital social proposta por ideiasnet pode trazer para seus sócios (investidores) em para seu negocio?
Ou, como a fusão de Saida e Perdigão pode propiciar a compra desta nova empresa por algum concorrente internacional? Ou quanto tempo a nova empresa demorara em alcançar a eficiência operacional que a Perdigão já desfrutava, e que permitiu entre outras coisas que hoje estivesse em uma posição confortável para comprar a Sadia?

O que Alice ensina de Buffett através de seu livro é a incansável atitude de pesquisa e analise que Buffett desenvolveu ao longo de sua vida. Sem duvida uma qualidade valiosa.

Não permita que a crise atual tire seu foco, procurar oportunidades de negocio dentro ou fora da Bolsa é uma jornada constante. Independentemente do ciclo econômico.

Nota: Nunca utilizar o método de Ron para escolher onde investir...

domingo, maio 10, 2009

In (Who) We Trust? (2)

O Guia de Autodefesa do Investidor das Galáxias recomenda: A única forma de se proteger do excesso de auto confiança, e desconfiar “sempre” de todos, especialmente de nos mesmos...
Ainda reforça: Corte sempre suas perspectivas mais positivas em 25%. E aumente as mais negativas em 25%.
Por ultimo chuta: Se você já pagou uma quantidade significativa de reais, e tem a infinitesimal suspeita de que esta preste a repetir o mesmo erro do passado em sua próxima operação, pare, pergunte para seu cachorro e,... não faça nada até ele responder.

A catequização Stock Busteriana, inicia-se sempre pregando com o exemplo pratico obtido de fatos reais, tão reais como os reais que estes fatos representam.

As compras detalhadas no quadro (a) correspondem ao período de auge da crise financeira. Foi quando a marolinha chegou e arrasou com delicadeza quem estava tomando sol na praia. Nesses momentos o estrago na plantação já estava feito e não tinha mais alternativas, a não ser aproveitar os preços baixos.

O problema inicial com esta estratégia foi que a recuperação ainda levou um tempo e o incomodo da flutuação negativa seria contabilizado por mais alguns meses.


Mas apenas alguns meses antes da crise o mercado ainda subia com força. Mesmo com o estouro da bolha imobiliária americana, a contaminação dos bancos com os ativos “podres” e o dano direto que estes causariam em seus balanços, não veria a tona tão claramente até depois da quebra do Lehman Brothers.

Isto ainda contribuiu alimentando a confiança geral do mercado e continuo colocando gás nos preços das ações.

Hoje, fica claro que o problema estava na cara de maduro, e que bastaria a mais mínima das faíscas para que o estouro fosse estrondoso, como foi.

Que aconteceu então? Porque grandes bancos e a maioria dos investidores (grandes e pequenos) contabilizaram perdas generalizadamente?
Acaso falharam nas previsões? Não teve quem avaliasse de forma concreta que a crise que estava próxima seria a mais profunda dos últimos 80 anos?
Falharam os modelos de analise gráfica e fundamentalista?

Foi culpa dos analistas e seu excesso de confiança nos relatórios? Foi culpa dos economistas e seu excesso de confiança no ciclo econômico exuberante da economia mundial? Foi culpa dos políticos e seu excesso de confiança nas políticas económicas e a auto regulação do mercado? Foi culpa dos Bancos Centrais e seu excesso de confiança na política de juros como ferramenta para regular os ciclos económicos?


Resulta evidente olhar hoje em retrospectiva e descobrir que os lotes comprados no quadro (b) foram uma péssima decisão. Claro que quando as coisas acontecem em tempo real, quem não gostaria de poder ter esta certeza?

Como investidores sempre iremos cometer erros. Devemos sempre tentar para que sejam em menor quantidade que os acertos.

Cabe lembrar também que a ausencia de auto confiança e tão perigosa e ruim como seu excesso.

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, maio 03, 2009

In (Who) We Trust? (1)

A incrível historia da quinta temporada de Stock Buster começa hoje nesta postagem extraordinária, em parte para contra-restar o efeito gélido da postagem anterior e do mês anterior, em parte porque se eu mesmo não falo que é extraordinária ninguém mais vai falar.

Acredito que o leitor ainda não esteja entendendo o auto-elogio inicial, mas se você continuar lendo (cara leitora ou leitor) entenderá a relevância do assunto que abordamos hoje.

Na economia (e na vida) a confiança é um fator fundamental, sem ela nem o papel que chamamos de dinheiro tem o menor valor. A perda da confiança conduze nosso sistema econômico numa constante espiral corrosiva que unicamente pode ser interrompida com um novo ciclo de restauração da confiança.

A crise do subprime, que iniciou o atual cenário recessivo mundial, teve seu inicio originado em um excesso de confiança que seguidamente iniciou a espiral corrosiva da perda de confiança.
Voltar ao status anterior só será possível quando a confiança seja totalmente restaurada. Até lá alguns trilhões de dólares serão investidos...

Mas não é da confiança perdida que quero falar hoje. Sabemos, e comprovamos, o que a falta de confiança produz. Mas pouco se falou até agora dos efeitos do excesso de confiança.


A maioria das pessoas que lê freqüentemente este blog tem muita confiança em suas próprias avaliações financeiras (e de investimentos), e isto também inclui quem escreve este blog (eu).

Como Jason Zweig escreveu em seu livro Your Money and Your Brain: “Um pequeno conhecimento pode ser algo realmente perigoso. Mesmo aprendendo um par de coisas sobre algum assunto especifico nos pode deixar com um falso senso de poder... extremamente perigoso“
.

O filosofo Willard Van Orman Quine escreveu: O quanto você sabe é menos importante de que tão claramente você percebe onde começa a fronteira de sua ignorância.


Eis aqui um pequeno conselho para manter a confiança sobre certo controle:

Aprender que coisas funcionam estudando os registros daquelas que não funcionaram.
Fiz um quadro vermelho no registro que levo das movimentações do da Plantação, para me lembrar de que a confiança pode jogar em contra para qualquer um.
Nele coloco em destaque as piores compras que efetuei desde o inicio deste portfólio.
Alguns lotes de Ideiasnet comprados em novembro de 2007, na faixa dos R$9, não me deixam esquecer quanto me custou o excesso de confiança.

Boa Semana, Bons Negócios.
(e Confiança na medida certa!)

domingo, abril 26, 2009

Há 20 dias.

Foram quase 20 dias de ausência não planejada e preciso confessar que já estava sentindo falta das postagens semanais e do exercício constante de me comunicar com você por aqui. Sem tentar ser muito especifico, mas sabendo que de alguma forma tenho o dever de prestar algum tipo de explicação, posso dizer que estive numa espécie de retiro.
Não precisa me entender, mas que venda a primeira ação com 75% de desconto quem alguma vez não precisou se afastar para reordenar as idéias...?

Necessitei ficar longe do mercado e me focar em outros tipos de assuntos, você pode não acreditar mas escrever toda semana para mim representa, além de uma grande satisfação, um grande compromisso com você. Isto é, porque não quero escrever abobrinha, nem falar besteiras, nem ser excessivamente reiterativo. Embora alguma vez segundo o critério de algum leitor posso ter incorrido nestes erros.

Abril resultou ser um mês de recuperação, não só no mercado mas também na Plantação, que até sexta-feira 24 acumulava ganhos de 16%. Em parte porque todas as ações que compõem o portfólio apresentam valorização, em parte porque as compras efetuadas durante o período de forte baixa estão alavancando mais rapidamente o portfólio.

Mais uma vez fica claro que invariavelmente comprar na baixa resulta muito lucrativo se o investidor possui um horizonte de médio e longo prazo, além de um pouco de sangre frio.

Afortunadamente, o ciclo de postagens da Quinta Temporada de Stock Buster iniciou-se novamente.

A semana, com decisão do COPOM (na quarta feira) sobre a taxa Selic deverá ser vertiginosa.

Como a crise não acabou e o mercado ainda não se recuperou 100%, a janela de compra a preços atrativos continua aberta. Você já deu uma olhada?

Boa Semana, Bons Negócios.

terça-feira, abril 07, 2009

Tese: Ideiasnet (Alocação de Ativos 3).

Segundo o dicionário português, Tese é uma afirmação que precisa ser demonstrada. A diferença entre Hipótese e Tese parte do principio que a afirmação da Tese é verdadeira, porem precisa de um fato ou teorema para ser efetivamente comprovada.

Como investidores podemos ser uma maquina de gerar teses ao avaliar empresas onde investimos ou investiremos nosso dinheiro.
Alocar ativos num portfólio pressupõe uma serie de teses, que inicialmente acreditamos sejam verdadeiras; caso contrario qual o sentido de investir alocando dinheiro nestas empresas?

Como muitas coisas na vida, nossas teses podem vir a serem testadas em momentos inesperados.
Ideiasnet é em teses um bom negocio, e no fato também. Porem, ainda falta que feche um ciclo completo de seu modelo de investimentos para que definitivamente não existam hipóteses que afugentem investidores.

Em seu balanço do 4T08 a empresa apresentou lucro de R$2,2 milhões de reais, que em teses esta muito bem se consideramos que 2008 foi o ano no qual explodiu a maior crises financeira dos últimos 70 anos.

Mas em hipóteses muitos olham para este numero como se fosse um resultado medíocre se comparado com o lucro de R$3,6 milhões do ano anterior.
O fato é que sua cotação continua estagnada na absurda faixa dos R$2 por ação.

Ideiasnet é hoje uma smallcap que fatura R$1,08 bilhões colocando a empresa num patamar nunca antes atingido. E em teses isto é excelente.
90% da receita da empresa é obtida através das empresas do portfólio classificadas como E-Commerce e Conteúdo. Em teses isto significa que na medida que a economia volte a níveis normais de consumo, sua receita tende aumentar.
Se alem disto os juros continuam com tendência de baixa e o dólar se equilibra em níveis mais aceitáveis (por exemplo: algo entre R$1,8 e $2) possivelmente o consumo volte a crescer com força no Brasil e a margem da empresa melhore. Podemos pensar que isto tem que refletir no lucro liquido da empresa?
Em teses podemos... ou devemos.


Na Plantação, Ideiasnet, tem um peso considerável na alocação inicial de recursos (ver gráfico). Isto é, acredito que em teses o modelo de negócios da empresa ainda trará resultados extremamente satisfatórios para ela e seus sócios (nós).

Não pode passar desapercebido o fato da empresa possuir 3.535.900 ações em tesouraria. 2.904.000 ações foram adquiridas durante o 4T08, trimestre no qual o preço da ação oscilou entre R$2,4 e R$1,72.

Qualquer um pode fazer uma simples conta e perceber que, na medida que o valor da ação se recupera e atinja, por exemplo, a faixa dos R$3, o valor das ações pulará para R$10.607.700; Simplesmente 4,8 vezes o lucro liquido de 2008!


A decisão (para a Plantação) de investir parte do dinheiro em caixa em ações da Porto Seguro, no lugar de investir ainda mais em ações de Ideiasnet, tem mais a ver com uma estratégia de balanceamento e diversificação de risco que com o abandono da idéia de que Ideiasnet não é mais atrativa.

Como venho falando em postagens anteriores, alocação de ativos é antes que mais nada um exercício constante e complexo de decisão.

Em tese o investidor sempre pensa e acredita que esta certo. Não invista baixo nenhuma hipótese, caso a afirmação anterior não seja para você mesmo, verdadeira.

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, março 29, 2009

Novo Ordem e Progresso.

Resulta incontestável o fato de que da mesma forma que toda bolha nasce fatidicamente condenada a estourar, toda crise sempre nasce inevitavelmente condenada a acabar, não sem antes detonar todo aquele que estiver perto, e às vezes não tão perto.

Em 1913 o Federal Reserve System (FED: Sistema da Reserva Federal Americana), foi criado. Exatamente no ano da morte de JP Morgan, que casualmente tinha evitado um possível e apocalíptico caos econômico 6 anos antes em 1907. Nesse ano uma forte crise econômica com pânico generalizado quase fecha a Bolsa de Nova York, e Morgan utilizou todo seu poder financeiro e influencia política para coordenar e tirar aos Estados Unidos do sufoco... Isto incluiu um muito (mas muito) obrigado de Roosevelt.

Em 1934, 5 anos depois da maior quebra da historia da bolsa Americana, foi criada a SEC. Com o objetivo de regular o mercado de valores, sua industria, e fazer cumprir as leis federais.

Em 2009, ainda difuso e sem um consenso absoluto, não cabem duvidas de que caminhamos em direção a uma nova ordem econômica, com novos organismos internacionais de regulação, e talvez, quem sabe, uma nova moeda de reserva mundial (será mesmo?).

Como no passado, adicionar transparência e segurança ao sistema econômico não deve ser visto com olhos de coruja.

Se você investe legalmente seu dinheiro, paga seus impostos e taxas correspondentes, obtém seus recursos de seu trabalho lícito, e procura simplesmente se enriquecer ao longo da vida... Aplicando; Então não tem de que se preocupar.
Evidentemente, países que estavam relegados num plano considerado de “emergentes”, brigaram (em todo seu direito) para obter uma porção maior e mais relevante do bolo. Acaso tem algo de errado ou de prejudicial nisso?

Isso sim, como no século passado, não acredito que o consenso seja rapidamente alcançado.


O mercado vem precificando os novos fatos devagar. Ainda esta sentindo os efeitos da débâcle, mas saiu dos 29.400 pontos de Outubro de 2008 e esta posicionado na faixa dos 40.000. Na Plantação continuo com foco nas aquisições. Ficar atento a flutuações negativas é importante para poder ainda aproveitar a ressaca daqueles que vendem desesperadamente preocupados pela forte queda dos preços e pela tênue ou débil recuperação.


Segunda-feira (30/3) temos apresentação dos resultados do 4T08 de Ideiasnet... Resta conferir amanha.

Esperemos que o novo ciclo seja de muito progresso...

Boa Semana, Bons Negócios.
(Fonte: Artigo de Jean Stouse, Estado de São Paulo 29/3/09).

domingo, março 22, 2009

Alocação de Ativos (2).

Ainda estamos a 33.000 pontos de distancia daquele fascinante dia de Maio de 2008, no qual o Índice Bovespa atingiu os 73.000 pontos.
Como escreveu algum poeta, alguma vez em algum lugar que bem não me lembro (deve ser coisa da idade), o tempo é a maior distancia entre duas coisas...

Quando? Quanto?
Duas perguntas que lemos e escutamos com freqüência neste mundo financeiro em relação à Bolsa, o Dólar, Fundos de Renda Fixa... E até do Imposto de Renda.
As respostas, como podem imaginar, são das mais variadas cores e tamises.
Alocar ativos é uma pratica constante que o investidor realiza. Consideremos ativos os recursos em dinheiro, as ações, títulos públicos, debêntures, ou qualquer tipo de bem ou metal que gere algum tipo de renda.

A correta ou incorreta alocação destes ativos, fará com que os objetivos colocados pelo investidor sejam atingidos dentro do período planejado, antes, depois, ou... Nunca.


B. Graham aborda o assunto de forma objetiva no seu velho livro “The Intelligent Investor” que explica e argumenta consistentemente a importância de manter um balanço entre Renda Fixa (ou títulos públicos) e Ações.
Ainda coloca uma regra que diz:
O investidor deve colocar no máximo 75% em ações e no mínimo 25% em títulos públicos (renda fixa); Ou, 75% em títulos públicos (renda fixa) e 25% em ações.


Na medida que um ou outro mercado é mais promissor, o investidor inteligente deve alocar seus recursos movendo-se entre esses parâmetros como se fosse uma espécie de pendulo.

Por exemplo, hoje a plantação esta: 56% em ações, 44% em CDB-DI.
Podemos dizer que esta perto de um equilibro, embora esta oscilando fortemente (e novamente) para o lado das ações.

É importante destacar que a proporção de tal equilibro muda muito de investidor para investidor. Por isto dificilmente abordo o assunto de títulos de renda fixa no blog, já que cada um escolhe qual o mais apropriado com base na disponibilidade de dinheiro para investir neste ativo e seu prazo. Obviamente quando melhor a taxa de juros e maior o prazo do investimento neste ativo, melhor!.


Alocar o dinheiro restante em empresas que cotizam em bolsa é para mim o maior e mais agradável desafio que o investidor pode empreender.

Note, que estou falando de empresas que cotizam em bolsa e não estou falando de ações que cotizam em bolsa. Isto representa uma grande diferencia no tipo de analise que proponho seja realizado.

... Continua.

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, março 15, 2009

Alocação de Ativos (1).


É quase unanimidade que o conjunto de opiniões e noticias que chegam aos investidores são catastroficamente desalentadoras e, porque não, até de certo teor pornográfico.

É difícil achar um título nos jornais que fale: Citigroup sobe 74,5%!
Mas de fato em 13/3/09 as ações do Citigroup fecharam a U$1,78 por ação, contra U$1,02 de 5/3/09.
Em contrapartida vemos que os jornais insistem em destacar que as moribundas ações do banco custam 3,2% do que custavam em Maio de 2007 (U$54,80), ou 8,2% do que custavam em Maio de 2008 (U$21,72)...

Não vamos culpar os jornais por isto, sejamos honestos e concordemos que como seres humanos temos uma certa tendência natural a viver os períodos de euforia hiper euforicos, e os períodos depressivos hiper deprimidos.

Como se isto não fosse suficiente, sabemos que hoje em dia é muito simples acompanhar as cotações do mercado em tempo real. Quem já não ficou hipnotizado olhando para a telinha vendo como os números se atualizavam em rápidos piscares verdes/vermelhos?
Não vou vir aqui explicar o efeito que causa consultar constantemente o saldo acumulado do portfólio. Seja qual for seu sentido de acumulação... (acumulo de perdas, acumulo de ganhos).

O problema de seguir uma abordagem deste tipo é que assim fica muito difícil enxergar o bosque. Se você navega diariamente pela pulsação do mercado, suas cotações e noticias, dificilmente você conseguira traçar uma estratégia que permita analisar a atual situação com maior perspectiva e tranqüilidade.

Você nem imagina como as coisas podem ficar estragadas se você baseia suas decisões seguindo ao Mercado. Se você já imagina, então você deve estar 100% de acordo comigo.

Eis aqui o ponto que eu queria chegar.
O investidor aloca seus ativos permanentemente. Isto é, aloca seu dinheiro (recursos) em ações ou títulos de renda fixa.

Mas, infelizmente as coisas não são tão simples assim.
Por exemplo, podemos escolher o time que esta em primeiro na tabela do campeonato brasileiro de futebol, e ficar trocando de equipe, escolhendo sistematicamente o que se encontra na primeira posição.
Sem duvidas, no final do campeonato estaremos torcendo pelo time que é campeão. Não é lindo!?

Salvando as distancias, você já tentou fazer a mesma coisa no mercado de ações?

Boa Semana, Bons Negócios.

domingo, março 08, 2009

Os Primeiros 100 Minutos.

… Dos próximos 2.628.000…
A vida é repleta de ciclos. Um na seqüência de outro, permanentemente se complementam, se interagem, se bifurcam e se fecham, dando inicio a outros...

O mais longo de todos é o da própria vida.

Na minha opinião pessoal, 99% destes ciclos são não planejados. São obras de nossas crenças (sejam elas Deus, o Destino, o Buda, o Acaso, ou porque simplesmente estava assim escrito).
O 1% restante são nossos projetos pessoais (que incluem nossos sonhos de vida, profissionais, amizades, família...).

O curioso é que cremos que controlamos muito mais do que 1% destes ciclos, mas na realidade, estamos muito equivocados. Mesmo o 1% desses ciclos possuem variáveis que fogem totalmente do nosso controle.

Na economia e nas finanças as coisas não são diferentes. Ciclos se fecham e abrem com periodicidades variáveis, dificilmente controlados por ações especificas, são sim conseqüência de um conjunto de atos executados por nos mesmos (os seres humanos que agimos muitas vezes de forma pouco previsível).

Venho sugerindo nas últimas postagens que o atual período, que requer prudência, é uma excelente Oportunidade de Compra. Mas a afirmação parece, para muitos, algo tão impossível como querer entrar no sambódromo com uma escola de samba pela contramão!

Minha sugestão não fica só nas palavras. O fato é que continuo aumentando os pesos das empresas da Plantação.
Porto Seguro e ComGas, são duas empresas nas quais estão prestando particular atenção. Ambas são excelentes pagadoras de dividendos. No caso de Porto Seguro, que apresentou seu balanço final relativo ao 4T08, o lucro por ação foi R$1,26.
Considero estratégico colocar num portofolio de ações empresas que sejam boas pagadoras de dividendos. Ainda mais em tempos de crise, como os atuais, o fluxo gerado pelos pagamentos do produzido no portfólio podem vir a reduzir as perdas registradas do capital investido.

Não estou dizendo que unicamente deve-se investir em empresas que sejam boas pagadoras de dividendos. Se a empresa reteve os lucros e só paga o mínimo exigido pela lei Brasileira (que é 25% do lucro), e reinveste positivamente o dinheiro dos acionistas gerando mais lucros no próprio negocio. Bom, isso definitivamente é algo bom para os acionistas, que verão o retorno do capital investido crescer através do próximo pagamamento de dividendos e da própria valorização da ação.

Se o investidor possui um horizonte de longo prazo, no qual o acumulo de ações de uma determinada empresa acontece ao longo do anos. Isto significa que o pago de dividendos representara um valor absoluto que não é desprezível.
Seguindo com o exemplo da Porto Seguro, quem possui 10.000 ações da empresa, recebeu durante o exercício de 2008 R$12.000 em conceitos de dividendos.

Por que não então, o investidor, pode ter como objetivo atingir esse número de ações... ou mais?

As decisões que tomemos neste período, vão se refletir no médio e longo prazo.
Obama sabe disto... Você também sabe?

Boa Semana, Bons Negócios.
(Fonte imagem: MAD)

segunda-feira, março 02, 2009

O Futuro Nunca Esta Claro.

Você paga um preço muito alto no mercado de ações por um consenso animado. A incerteza, na realidade, é amiga do comprador de longo prazo”. (artigo de W. Buffett, 06/08/1979, Forbes).

Se você concorda com o título da postagem de hoje e com o comentário de W. Buffett, então sem duvidas, você acredita (como eu) que o momento que ante os olhos e o bolso da maioria é uma verdadeira débâcle e catástrofe generalizada é, na realidade, uma das maiores oportunidades de compra dos últimos 20 anos.

Isto não significa que o mercado já chegou no fundo do poço, ou que as ações não possam ficar ainda mais baratas... Ou tal vez, pode significar sim que o mercado chegou no fundo do poço, ou que as ações estão realmente baratas. (Incerteza é isto mesmo).


Tentar adivinhar a tendência para os próximos meses no atual contexto, é a mesma coisa que tentar adivinhar quem será o campeão do Brasileiro 2010.
Podemos até chutar, avaliar, prospectar, achar que com nosso conhecimento podemos predizer com bastante certeza o resultado. Mas na verdade, no fundo, não deixa de ser uma verdadeira incógnita.


A Bovespa não parece um Fusca que esta com problemas no carburador?
Assim que começa tomar algum tipo de velocidade e as coisas se tornam mais emocionantes, o carburador falha e perde-se rapidamente a potencia de torque. Então, quando parece que vamos ter que descer do carro, o Fusca pega de novo... E aí vamos...


Neste mês, o último do primeiro trimestre, varias empresas apresentam seus balanços. Desta forma, avaliações mais apuradas sobre o impacto da crise em cada uma das empresas analisadas, podem nos dar uma pista valiosa para escolher onde aplicar nosso dinheiro.

Na medida que nos adentramos na recessão, e enquanto se prolongue, a situação continuara achatada, pessimista, obscura, preocupante e tensa.

A queda do PIB Americano de 6,2% no ultimo trimestre de 2008, em relação ao trimestre anterior, foi uma noticia muito mais ruim do que todos esperavam. E vai se ainda pior se não para por aí...

Com tudo, o PIB Americano cresceu 1,1% em 2008, em relação a 2007. Os Americanos produziram: U$14,2 Trilhões.

Em 2007 o PIB tinha crescido 2% (em relação a 2006).

Mais do que nunca, o momento é ótimo para compras do longo prazo. Claro, com extrema prudência... lembrando, que se o futuro nunca esta claro, todos os cuidados são poucos para não deixa-lo definitivamente escuro.

Boa Semana, Bons Negócios.

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Planus Econômicus Estimulus Obama’s

O Guia de Autodefesa do Investidor das Galáxias, esclarece:
“Cuidado, em caso de cheque em branco, fechar a conta imediatamente”.

O Presidente Obama conseguiu mais uma épica aprovação de mais um épico pacote de estimulo para a combalida economia americana, pelo épico valor de U$780 bilhões.
Mas, é consenso que o épico buraco continua aberto sugando dinheiro e o final da crise ainda não se vislumbra, mesmo com o esforço dos governos nacionais.

Neste contexto, adverso e com constantes surpresas negativas, como a débâcle do Dow Jones que retrocedeu para valores de 1997 (em 23/2/09).
Temos que pensar nas alternativas.
Quais alternativas são essas?

Inicialmente, acredito que liberar uma dose de testosterona poderia ser um bom começo para abaixar um pouco o nível de estresse e preocupação geral.
Acompanhe-me, funciona da seguinte forma:
“Como é que essa merda de Dow Jones volta cair dessa forma. Aqueles idiotas estão vendendo essa bosta de ações a qualquer preço, e colocando a merda do dinheiro que obtiveram em que? Em títulos do governo Americano que pagam 0,25% ao ano? Ou, comprando Ouro e pagando valores elevados pelo metal?”.

O que alguém poderia responder:
“O idiota é você que ainda esta com essa merda absurda de plantação ressecada, que do meu ponto de vista, nem que chova um dilúvio vai voltar a crescer!”.

E por aí vai... (entende?).

Uma outra alternativa é a de tentar colocar os fatos (no preto e branco) e confiar em vislumbrar a luz no final do túnel.
Claro, você pode estar chutando que a luz é o famoso trem, e eu complementaria dizendo também que a luz pode ser até do próprio Deus. (já pensou?... Vem cá meu filho!).

O pacote que Obama conseguiu aprovar de U$787 Bilhões, já disponibiliza um cheque de U$1,4 triliões se levamos em consideração o pacote aprovado por Paulson em Outubro de 2008 (U$700 bilhões).

Nestes últimos meses o governo Americano foi comprando os malditos títulos podres e vai saber qual o preço que eles estão pagando pelos títulos.
Amanhã o governo decidiu iniciar o “stress teste” para saber qual o capital necessário que deve ser colocado em cada uma dos 20 principais bancos Americanos.


Agora estão discutindo nos Estados Unidos aumentar a participação do governo nos Bancos (e porque não em outro tipo de industrias). Basicamente, Obama diz: Eu te ajudo, mas quero parte das ações de sua empresa em troca.


Pois é isso aí Camaradas. Até Paul Krugman (atual prêmio Nobel de economia) concorda com esta linha. E, na verdade, não parecem existir muitas alternativas válidas que de alguma forma terminem reconquistando a confiança perdida e restituindo a devida energia à economia Americana e ao mundo.
Só, não pode pegar a ideia por estes lados do planeta. Já pensou?

Vamos deixar aqui registados alguns fatos importantes:
  • Em 1997 o PIB Americano era de U$8,4 Triliões.
  • E o índice Dow Jones daquela época foi de 7.965.
  • Em 2008 o PIB Americano foi de U$14,4 Triliões. (Estimado)
  • O Índice Dow Jones esta em 7.114 (fechamento 24/02/09).
Tem alguma coisa que não fecha?

Umas das melhores contribuições que tivemos nestes últimos tempos foi a do site addictingames.com. Com seu jogo: O Resgate do Bilhão de Dólares.
Eles criaram um jogo (grátis) no qual você recebe U$1 trilião virtual, com esse dinheiro você poderá ajudar a sedentos proprietários e empresários que solicitam dinheiro incansavelmente. Você tem 2 minutos!
Ironicamente, não resolve nada, mas você vai entender claramente qual o problema e vai se entreter um tempão!

Boa Semana, Bons Negócios.