domingo, março 22, 2009

Alocação de Ativos (2).

Ainda estamos a 33.000 pontos de distancia daquele fascinante dia de Maio de 2008, no qual o Índice Bovespa atingiu os 73.000 pontos.
Como escreveu algum poeta, alguma vez em algum lugar que bem não me lembro (deve ser coisa da idade), o tempo é a maior distancia entre duas coisas...

Quando? Quanto?
Duas perguntas que lemos e escutamos com freqüência neste mundo financeiro em relação à Bolsa, o Dólar, Fundos de Renda Fixa... E até do Imposto de Renda.
As respostas, como podem imaginar, são das mais variadas cores e tamises.
Alocar ativos é uma pratica constante que o investidor realiza. Consideremos ativos os recursos em dinheiro, as ações, títulos públicos, debêntures, ou qualquer tipo de bem ou metal que gere algum tipo de renda.

A correta ou incorreta alocação destes ativos, fará com que os objetivos colocados pelo investidor sejam atingidos dentro do período planejado, antes, depois, ou... Nunca.


B. Graham aborda o assunto de forma objetiva no seu velho livro “The Intelligent Investor” que explica e argumenta consistentemente a importância de manter um balanço entre Renda Fixa (ou títulos públicos) e Ações.
Ainda coloca uma regra que diz:
O investidor deve colocar no máximo 75% em ações e no mínimo 25% em títulos públicos (renda fixa); Ou, 75% em títulos públicos (renda fixa) e 25% em ações.


Na medida que um ou outro mercado é mais promissor, o investidor inteligente deve alocar seus recursos movendo-se entre esses parâmetros como se fosse uma espécie de pendulo.

Por exemplo, hoje a plantação esta: 56% em ações, 44% em CDB-DI.
Podemos dizer que esta perto de um equilibro, embora esta oscilando fortemente (e novamente) para o lado das ações.

É importante destacar que a proporção de tal equilibro muda muito de investidor para investidor. Por isto dificilmente abordo o assunto de títulos de renda fixa no blog, já que cada um escolhe qual o mais apropriado com base na disponibilidade de dinheiro para investir neste ativo e seu prazo. Obviamente quando melhor a taxa de juros e maior o prazo do investimento neste ativo, melhor!.


Alocar o dinheiro restante em empresas que cotizam em bolsa é para mim o maior e mais agradável desafio que o investidor pode empreender.

Note, que estou falando de empresas que cotizam em bolsa e não estou falando de ações que cotizam em bolsa. Isto representa uma grande diferencia no tipo de analise que proponho seja realizado.

... Continua.

Boa Semana, Bons Negócios.

5 comentários:

Mr.Garone disse...

Sinceramente, temos que ser realistas, pois o cenário e de crise e o Brasil caminha na direção de uma recessão, pois não acredito em notícias e nem muito menos em políticos com os seus especialistas enganadores.

Prefiro partir para o ataque, assim e garantido lucrar na bolsa de valores, logo faço as minhas medições matemáticas, pois não adianta acreditar em papai noel quando não existe, temos que ser realista o índice não irá voltar tão cedo a bater na casa dos 73.000 pontos, creio que irá durar cinco anos ou 60 meses e investir no Brasil no longo prazo nessa crise ou recessão e uma barca furada, o negócio e investir no curto prazo, pois assim mantém acesa a economia.

Pois tem pessoas que preferem trabalhar 40 dias para ter salário, pois prefiro tirar o que eles tiram por mês em apenas um dia, porém precisa estudar análises gráficas, economia, estatística e etc... E qual o problema nisso?

Estudar faz parte da vida e creio que ninguém para de estudar, pois estagna, vejo por eu mesmo, apesar da faculdade trancada continuo estudando outras coisas, logo não paramos de estudar.

E melhor garantir no curto prazo do que acreditar em papai noel.

Tanto que as coisas estão mudando que eu irei modernizar até o meu visual, e por isso que eu falo para não perder na bolsa de valores, precisamos ser realistas e flexíveis, pois se no longo prazo não dá para ganhar dinheiro, partimos para o curto prazo, e dureza? Pois seria dureza investir no longo prazo, ter esperança no papai noel ou em um milagre, ou até confiar nos políticos ladrões do Brasil.

Alocação numa hora dessas, não e uma boa idéia, porém temos que ter conhecimento em gráficos para fazer alocação de ativos, pois para alugar a bolsa precisa cair, mas antes de fazer qualquer tipo de alocação fazemos o seguinte: tiramos a tendência, pois se tiver com tendência de queda fazemos a alocação caso contrário não!

Eduardo disse...

A tempos eu não lia tanta besteira!

Stock Buster disse...

Obrigado Eduardo e Garone pelos comentários.

Anônimo disse...

Olá, é um comentário fora do tópico, na verdade é uma sugestao...sempre dou uma passadinha aqui para ler seus posts, segunda sai balanco do quarto trimestre..que tal um post dedicado a ela...

Stock Buster disse...

Caro Anônimo,
estou aguardando ansiosamente a publicação do balanço de Ideianet (acredito que voce esta fazendo referencia a esta empresa). Sem duvidas irei comentar minhas opiniões...

mantemos contato,
Stock Buster.