domingo, abril 16, 2006

Entre o Blink e o Blind

A ultima vez que adquiri ações para meu portfolio foi o 20-fev deste ano, foram ações da Light (a r$16,70). Fizemos uma compra em parceria com meu grande amigo Stock Miner (tá mineru!).
O negocio rendeu frutos rapidamente quando a Light, que pareceia ascender mais rápido que o astronauta brasileiro, chegou a r$23. Depois, num movimento de queda inesquecível onde todo indicava que o limite sería o centro da terra e não o chão, a Light chegou a desvalorizar até r$14.

Em reunião da diretoria na que participaram os diretores Miner e Buster, e só. Foi discutido, cafe mediante no "Arte Café", o que fazer com as ações da Light. Caramba! Miner estava a fim de vender. Então, relembramos porque adquirimos as ações da Light. As razões foram:
  1. A empresa apresentou lucros depois de vários trimestres apresentando perdas;
  2. O preço da ação estava muito desvalorizado se comparado com as cotações anteriores, isto representava grandes chances de uma valorização da empresa no curto prazo;
  3. ... E Miner e eu, queríamos fazer uma diferença no curto prazo. Inicialmente a Light não formaria parte de nosso portfolio permanente.

Três dias depois de adquirir as ações, foi divulgado no mercado a intenção de compra da Light por um grupo Brasileiro. Foi ai quando os motores foram ligados!!!

Mas a euforia, não foi combustível suficiente (como sempre) para manter o preço no patamar dos r$23, especialmente depois que foi divulgado que o preço pago pela Light não foi o que o mercado esperava.

Que fazer então? foi a pergunta que nos fizemos com Miner.

E aqui entra o Blink. A empresa foi comprada pela Cemig por u$319,8 milhões, mais u$1,5 bilhões que a Cemig assumiu de dividas da Light. Isto da um total de u$1,819 bilhões.

O consórcio formado pela Cemig, agora dono da Light, entra com alto crédito em capacidade de gestão e execução. Isto significa que nao podemos avaliar o futuro da empresa, olhando o passado. O certo é avaliar qual é o comportamento da Cemig nas empresas na que o consórcio participa e, desta forma, traçar uma linha de como ira a resolver os problemas da Light. (que não são poucos!)

Meu "blink" é que a Light irá se fortalecendo ao longo deste ano. E se hoje olhamos o preço das ações oscilando entre r$15 e r$17, eu acho que nos próximos trimestres podemos pensar na Light oscilando em patamares maiores. A Light já chegou a cotar a r$180 dois anos atrás. Se arrumar a casa e, se voltar a dar lucros: qual a possibilidade de aumentar seu valor de mercado?

O Blink é um fator importante nos momentos da tomada de desição.

Já o Blind é exatamente todo o contrário!

Nota Final: Continuo olhando e aguardando antes de fazer novas aquisisões.

2 comentários:

Stock Miner disse...

Buster,
Poderia a notícia "LIGHT S/A (LIGT-NM) - AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL" ter influenciado na queda de 4%deste papel ontem? Porque a influencia negativa? Foram distribuidas mais ações no mercado? É isso? A tradicional Oferta e Procura?
Abs,
Stock Miner

Investidora Blink disse...

Buster,
Confesso que ando um tanto afastada no mercado acionário, mas mesmo assim ouço boatos do tipo "será que os novos investidores do mercado acionário estão preparados para 3 anos de vacas magras?". Parece-me que estamos sendo levados por esta nova onda e o meu "Blink" diz que o momento é de cautela. Nesta época em que meu amigo buster continua olhando e aguardando para novas aquisições eu estou nadando de braçadas no fundo cotada pelo ISE.Ainda não vi seu comentário a respeito deste fundo. Gostaria muito de conhecer sua opinia.